Saquetas de chá tem 17 vezes mais germes que a tampa da sanita.

As saquetas que não estão em sacos individuais fechados e que se encontram em caixas partilhadas em escritórios de empresas podem conter 17 vezes mais germes do que a tampa de uma retrete.

De acordo com um estudo realizado pelos especialistas da “Initial Washroom Hygiene”, partilhar o chá com os colegas de trabalho pode ser um hábito pouco higiénico. Segundo o jornal “The Independent”, os cientistas alertam para o risco eminente da contaminação bacteriana das saquetas desprotegidas dentro das caixas de chá partilhadas. A culpa é das várias mãos dos colegas de escritório.

Segundo o estudo, as saquetas que não estão em doses individuais seladas podem conter 17 vezes mais germes do que a tampa de uma sanita.

Os cientistas fizeram essa descoberta quando analisavam a contaminação natural dos utensílios de cozinha. De acordo com a análise, que não revela uma medida concreta, a leitura bacteriana das caixas de chá partilhadas nos escritórios atingiu os 3.785. Já as pegas da chaleira foram classificadas com 2.483. No entanto, a tampa de uma sanita ficou-se pelos 220.

Leia também10 coisas que deveria lavar (e que nunca lava)

“Se parar para pensar sobre a quantidade de mãos diferentes que tocam em coisas como a pega da chaleira, a tampa da caixa das saquetas de chá ou as canecas, a possibilidade da contaminação cruzada multiplica-se”, comenta Peter Barratt, investigador e mentor do estudo.

A investigação, que analisou 1.000 trabalhadores, também descobriu que 80% das pessoas que trabalham num escritório não pensam em lavar as mãos antes de preparar o chá ou outra bebida para os colegas.

Comments are closed.